Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher: é importante falar sobre pós-parto.

post (2).jpg

Essa semana, no dia 28 de maio, comemoramos o Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna. Data que marca duas lutas extremamente importantes para a saúde feminina. Ambas têm como objetivo chamar a atenção e conscientizar a sociedade dos diversos problemas de saúde e distúrbios comuns na vida das mulheres.

As mulheres são maioria no Brasil. Segundo o último censo do IBGE, elas representam 51 % da população brasileira. Com o aumento da expectativa de vida delas, é ainda mais importante prestar atenção à saúde nas diferentes fases da vida. Por isso, é fundamental manter os exames preventivos e o cuidado com o corpo sempre em dia.

Melhorar a assistência às mulheres em todas as fases da vida, principalmente durante a gestação e puerpério, é de extrema importância para reduzir ainda mais a taxa de mortalidade materna.

Aproveitando esse ensejo, no nosso último post abordamos as dificuldades que muitas mulheres passam no puerpério e uma dúvida que sempre aparece é: se as alterações hormonais, físicas e psicológicas são fisiológicas do pós-parto, como se preparar para esse momento?

É fato que todas as mulheres que engravidarem passarão por essas adequações do organismo, mas a forma como cada uma vai enfrentar essas alterações depende muito de como cada mulher vai interpretar esse momento.

post (3).jpg

Uma boa forma de se preparar não só para a gestação, mas também para o pós-parto, é se informar. Quanto mais informações e recursos a puérpera tiver para lidar com essa fase, mais segura ela se sentirá e menos “bruscas” serão essas mudanças. Assim como na gestação é preciso saber sobre as vias de parto, os benefícios e indicações de cada técnica que pode ser usada durante a gravidez e o parto para se sentir segura quanto ao que pode ou não acontecer, no puerpério deve acontecer o mesmo.

Saber como ter uma amamentação mais fácil, o que é uma pega correta, como prevenir e tratar fissuras, o que é ingurgitamento, mastite e tantas outras coisas que podem acontecer deixam a mãe mais tranquila e segura para esse momento. Ainda que ocorram problemas, ela saberá formas de lidar com isso e a quem recorrer para obter ajuda.

Entender que esse é um momento delicado e cansativo e que não é assim apenas porque o bebê dorme pouco, ajuda a mulher a se preparar para isso e pensar em uma rede de apoio e formas de amenizar esse cansaço.

Conversar sobre o baby blues, depressão pós-parto e as reações que outras mulheres tiveram durante esse período faz com que a puérpera perceba que não está sozinha, que praticamente todas as mulheres passam por isso e tudo vai se ajeitar! É apenas uma fase!

Conhecer as melhores posturas para manter os cuidados diários com o bebê sem dores ou desconfortos torna o puerpério mais confortável, pois a mulher vai conseguir cuidar do neném se sentindo bem.

Enfim, se informar é uma forma de se sentir segura, de se preparar para o nascimento do bebê sem idealizar; sabendo que essa é uma fase delicada e que existem formas de torná-la mais tranquila. Além disso, quanto mais a mulher se informar, mais ela saberá onde encontrar ajuda de qualidade, sem críticas ou julgamentos.

A equipe de Saúde da Mulher da Corpus está preparada para fornecer o melhor atendimento e auxiliar as mulheres a viverem um pós-parto mais leve e mais fácil. Aqui você pode realizar o atendimento junto com o bebê, em todas as áreas de atendimento da clínica. Da fisioterapia obstétrica ao pilates estamos todos prontos para orientar, reabilitar e prevenir possíveis dores e desconfortos, sempre prezando pelo melhor atendimento, mantendo o conforto da mãe e do bebê.

Venha conhecer nossos serviços! Agende um horário pela nossa Central de Atendimento (61) 3041-8778, ou através deste link. Será um prazer atendê-la!